HOME QUEM SOMOS CURSOS VITRINE EVENTOS CONTATO
(11) 2604-3070
 


 
 




 

Erisipela: Como prevenir esse mal? - Marcia Nogueira



 

Marcia Nogueira
• Diretora Técnico-científica da área de
podologia da revista eletrônica Belezain
• Professora e Podóloga
Tel: ((11) 9590.0857
e-mail: podologamarcianogueira@hotmail.com

Podologia

Erisipela: Como prevenir esse mal?

O que é Erisipela?
A erisipela é uma doença que atinge, principalmente, os idosos, devido à fragilidade do seu sistema imunológico e aos problemas de circulação que os acometem.

Conhecida também como linfangite estreptocócica, é causada por uma bactéria (streptococcus) que atinge a camada mais profunda da derme (derme profunda e hipoderme), deixando a pele avermelhada.

Se não curada totalmente, fica com a aparência de uma casca de laranja dando chance para que novas bactérias se instalem, culminando com a amputação do membro atingido.

Acomete, geralmente, os membros inferiores, pois, são os mais afetados quando a circulação sangüínea é deficitária, ambiente ideal para que tal bactéria se instale.

Como essa bactéria se instala no corpo humano?
De maneira bem simples: através de inflamações e micoses nas unhas, pequenas úlceras causadas por frieiras e bolhas, cortes de calos ou eponíquio (cutícula), pelas fissuras plantares, causadas pelo ressecamento da pele e até pelo excesso de sol.

Como tratá-la?
O tratamento é feito através de antibióticos. Mas, se a bactéria se alastra por toda perna, associada com outras doenças como, por exemplo, o diabetes, pode ser necessário a amputação.

Quais os primeiros sintomas?
Febre, mal-estar, cansaço, dores de cabeça e vômitos, também são sintomas da doença.

Se não curada totalmente, fica com a aparência de uma casca de laranja dando chance para que novas bactérias se instalem, culminando com a amputação do membro atingido.

A doença tem início com a febre, que costuma permanecer por 4 dias e pode regredir espontaneamente.

O diagnóstico só pode ser feito por meio do exame clínico. No exame de sangue pode ser identificada a bactéria que está causando a doença.

O que pode acontecer se o tratamento for inadequado?
Caso o tratamento seja inadequado e a doença volte a reincidir (erisipela de repetição), surgem manchas escuras na pele que não desaparecem mais.

Isso ocorre porque o paciente abandona os medicamentos antes do tempo, pois vê os sintomas desaparecerem.

Na repetição da doença, pode se tornar crônica, causando problemas sérios nos vasos linfáticos.

Quais são as pessoas que correm maior risco de contrair a Erisipela?
Podemos considerar como grupo de risco pessoas; obesas, fumantes alcoólatras, diabéticos e quem têm imunodeficiência.

Caso o paciente tenha tido algum inchaço (edema linfático) ou úlcera na pele estará pré-disposto ao problema.

A erisipela pode também ocorrer nos braços, quando mulheres com câncer no seio, retiraram parte dele e gânglios da região.

Se houver o ressecamento da pele, pode facilitar o acesso da bactéria.

Como prevenir essa doença?
Com atitudes simples como:
• Após o banho secar bem entre os dedos dos pés, se for preciso, usar um secador na temperatura fria;
• Sempre usar meias de algodão;
• Tratar frieiras e fissuras rapidamente;
• Evitar calçados que danifiquem os pés e manter a pele dos pés e corpo, sempre hidratada.

 
 

















 


(11) 2604-3070
2015 - Belezain - Todos os direitos reservados. Termo de responsabilidade.

Desenvolvido e Hospedado por Megainter